Adicione aos Favoritos
Clique para Pesquisar
    
 
"Toda a Verdade passa por três fases.
Primeiro, é ridicularizada.
Segundo, é violentamente atacada.
Terceiro, é aceite como evidente"
Schopenhauer

VISITAS
1639399
Desde 13/06/06

Os alemães não têm direito a ter bens
PDF Imprimir e-mail

Quando já ninguém procurar e divulgar a verdade, tudo o que subsiste na Terra degradar-se-á, já que é apenas na verdade que existe a justiça, a paz e a vida. 
Friedrich von Schiller, 1759-1808

Há muitos anos, o novo imperador chinês perguntou a Confúcio o que havia de fazer para governar bem o seu reino. Confúcio respondeu: “Eu utilizaria uma linguagem honrosa. Chamaria as coisas pelo seu verdadeiro nome. Quando não chamamos as coisas pelo seu nome concreto, as palavras deixam de ter significado. Se as palavras não reflectirem a realidade, então, aquilo que dizemos não é o que queremos dizer. Mas, se aquilo que dizemos não for o que queremos dizer, não podemos pensar claro e nada conseguiremos alcançar. Só quando chamamos as coisas pelo seu verdadeiro nome podemos falar sobre as coisas, sincera e honestamente.”

 
Os críticos que pensam que deve haver uma concorrência entre todos os âmbitos da política partem, na verdade, do princípio da regulamentação do monopólio do estado nacional. Esta era a antiga ordem jurídica, que ainda está subjacente ao direito internacional, com o conceito de soberania que há muito foi levado ao absurdo, na Europa, pelo menos, durante as duas guerras mundiais, na primeira parte do século passado, enquanto nós, na Alemanha, nunca mais fomos soberanos, desde 8 de Maio de 1945, até hoje. Isso ficou estipulado na lei base, já se encontrando no preambulo 1949, sendo o objectivo sermos membros com direitos iguais, numa Europa unida para servir a paz do mundo.

* * *

14 de Agosto de 2010

Patch Barracks Support Office

70569 Stuttgart Tel. 0711-6877568 Fax 0711-6877799

Com referência à sua pergunta de 14 de Março 2010

Exmo. Senhor xxxxxx

Em resposta à sua pergunta quanto às leis proclamadas pelos Aliados por ocasião da tomada deste território nacional:

1. A Alemanha deixou de ser um Estado soberano no fim da II Guerra Mundial passando a ser um território ocupado pelos exércitos aliados. Com efeito a partir de 12.9.1944, foi confiscado pela Superpotência USA, segundo a lei Schaef nº 52, artigo 1.

2. A RFA não é nem nunca foi um Estado reconhecido nem juridicamente, nem de facto, e jamais foi reconhecido pelo direito internacional. A RFA é um administrador sem qualquer poder, desde 1990, sendo apenas um administrador financeiro, por ordem das forças aliadas vencedoras.

3.Perante o fundamento jurídico do comando inter-aliado de Berlim, de 21 de Fevereiro de 1947, BK/O, 47 50, ninguém na República Federal da Alemanha e Berlim pode ser proprietário de bens imobiliários.

4. Perante o fundamento jurídico do comando inter-aliado de Berlim, de 21 de Fevereiro de 1947, BK/O, 47 50, todos os que moram na República Federal da Alemanha e Berlim, podem ser detentores, mas não possuidores de bens, mediante registos no cartório predial de contratos notariais.

5. Em relação às propostas 6 e 7, ninguém pode ser expropriado na República Federal da Alemanha e Berlim.

6. Em relação às propostas 6, 7 e 8, um leilão judicial representa uma medida coerciva ilegal.

7. Por falta da licença do governo militar, necessária pela lei Schaef nº 53 BK/O, 47 50, os afectados foram burlados pelas autoridades administrativas da assim dita República Federal da Alemanha.

8. Há que ter em conta que, nas expropriações, em relação ao requerimento 16 os parágrafos BGB 823, se refere a uma obrigação de indemnização e o 839 a uma violação do dever oficial. Só pelo desrespeito pelas leis Schaef 52 e 53 através da compra de empréstimos hipotecários sem o nosso consentimento activou-se uma operação financeira ilegítima, dado que não existia nenhuma licença anterior das forças armadas aliadas. E muito menos houve um esclarecimento dos factos legais. Ninguém é obrigado por lei a devolver quaisquer dinheiros ou contribuições. Além disso, a RFA, como agência financeira SARL, infringe regulamentos e direitos existentes das forças armadas aliadas de 1947, que continuam em vigor, fazendo-se assim assistente conivente de manipulações fraudulentas.

Comando inter-aliado da cidade de Berlim para Berlim e a RFA.

Nenhum alemão possui bens, constatação e provas legais segundo BK/O, 47 50, de 21 de Fevereiro de 1947, para observar o ponto 7, parágrafo BK/O, 47 50, de 21 de Fevereiro de 1947, referência: assuntos referentes a bens sob o controlo as autoridades de ocupação.

O comando aliado de Berlim ordena para Berlim e a RFA o seguinte:

1. Sem autorização prévia, por escrito, do governo militar do sector em que a propriedade se encontra, nenhum tribunal alemão pode ter jurisdição de reivindicação ou exercício nos casos em que, devido à lei Schaef nº 52 do governo militar americano, britânico e francês, ou do governo (SMAD) ordem nº 124 do comandante-em-chefe soviético, com base numa ordem de uma das autoridades de ocupação, bem retido ou sujeito a confiscação.

2. Nos casos em que os fundamentos para o litígio se tiverem originado antes de 8 de Maio de 1945, regra geral, esta autorização normalmente não é concedida.

3. Qualquer veredicto que já tiver sido pronunciado ou for pronunciado num processo futuro, que sem a autorização do governo militar do sector onde a propriedade se encontra, tenha sido instruído, é nulo e quaisquer medidas para fazer vingar a decisão jurídica é inválida.

4. Sem a prévia autorização por escrito do governo militar do sector onde a propriedade se encontra, esta não pode ser registada se estiver sujeito ao controlo ou a confiscação, tal como definido no parágrafo 1 desta ordem.

5. Antes de um tribunal alemão ou conservatória do registo predial tomar decisões num assunto referente a bens móveis ou imóveis o tribunal, aliás, a conservatória do registo predial deve solicitar previamente, por escrito, explicações a todas as partes interessadas no processo, que devem corresponder à verdade em todos os pormenores, que devem ser entregues pelas respectivas partes, ou pelos respectivos advogados, em que a propriedade não está sujeita ao controlo ou à confiscação, segundo o indicado no parágrafo 1.

6. Sem a prévia aprovação documentada do governo militar do sector em que está localizada a propriedade, não podem ser tomadas medidas contra quaisquer pessoas singulares ou colectivas para fazer cumprir ou executar uma decisão de um tribunal alemão ou de uma conservatória do registo predial, que diga respeito a uma propriedade sujeita a controlo ou a confiscação, segundo indicado no parágrafo 1.

7. O não cumprimento destas disposições representa uma violação grave de uma ordem do governo militar das autoridades de ocupação e será punida em conformidade.

Em nome do Comando aliado Berlim, para Berlim e o quartel-general aliado da RFA para Baden-Würtemberg capital do Estado Stuttgart desde 30 de Junho de 2009, 15º comandante geral do Comando Europeu dos EUA (EUCOM) e também, desde 2 de Julho de 2009, 16º Comandante Supremo Aliado da Europa da NATO.

Assinado: James G. Stavridis

The MITRE Corporation WSEO/USEUCOM

Fonte: Germer/Volksgewerkschaft

Movimento de libertação do povo alemão”


Lido: 3238

  Comentários (4)
1. Escrito por manuel melo bento, em 07-03-2013 16:49
não me admira o procedimento de ingleses e americanos. não foram eles que destruíram a civilização mesopotâmica não tem 10 anos a esta parte utilizando falsos pretextos?
2. Dúvidas
Escrito por Carlos, em 09-03-2013 02:26
Não duvido da veracidade do que é relatado aqui porém fiquei com dúvidas quanto às fontes. A outra questão é se após a queda do Muro este status continuou o mesmo? Merkel, neste contexto, seria simplesmente a representante do poder econômico transnacional, dos EUA.
3. XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX
Escrito por Carlos Eduardo Duarte Diniz Va website, em 09-03-2013 09:47
O Povo Alemão actual não deverá so frer pelo comportamento do Povo Ale mão de 1914/1918 - 1939/1945 se o  
comportamento não for o mesmo. Como 
infelizmente o comportamento se man tém, agora não pelas Armas mas pela Economia, as Forças Armadas que os 
venceram devem continuar a não os deixar actuar livremente como se de um País Soberano se tratasse.
4. Escrito por Carlos F Menz, em 10-01-2017 17:27
Percebe-se hoje o ranger de dentes contra os "alemães" por toda Europa, estigmatizados como os causadores da crise e de todas as desgraças por que passa a maioria dos países da "união" europeia. Instigados novamente pelos mesmos media que ao longo dos tempos vêm fazendo o jogo sujo dos donos do poder, dos manipuladores por de trás dos bastidores. Neste artigo fica bem evidente como aquele pobre/rico país serve de escudo e vaca leiteira para os mandos e desmandos dos mesmos de sempre. EUA/Grã-Bretanha/Israel e o banqueirismo internacional batem no resto e apresentam uma máscara com a cara do bicho-papão, a "Alemanha", país, nação que não existe oficialmente. A fórmula é antiga, mas funciona maravilhosamente.

Escreva um comentário
  • Por favor, faça um comentário relacionado apenas com o artigo.
  • Os comentários serão validados pelo administrador antes de aparecerem no site.
  • Evite erros ortográficos e/ou gramaticais.
  • Ataques verbais e/ou pessoais não serão publicados.
  • Não utilize os comentários para fazer qualquer publicidade.
  • Se preferir, não necessita de indicar o seu e-mail.
  • Caso tenha indicado um código de validação errado, faça *Refresh* para obter um novo.
Nome:
E-mail:
Página Pessoal:
Título:
Comentário:

Código:* Code
Pretendo ser contactado por e-mail caso haja futuros comentários

Powered by AkoComment Tweaked Special Edition v.1.4.6
AkoComment © Copyright 2004 by Arthur Konze - www.mamboportal.com
All right reserved