Adicione aos Favoritos
Clique para Pesquisar
    
 
"Toda a Verdade passa por três fases.
Primeiro, é ridicularizada.
Segundo, é violentamente atacada.
Terceiro, é aceite como evidente"
Schopenhauer

VISITAS
1639370
Desde 13/06/06

Presidente da UE declara o fim das nações!
PDF Imprimir e-mail

ImageNesta última terça (9/11/10), o presidente do Conselho Europeu, Herman von Bilderberg, quer dizer Van Rompuy, discursou sobre «a situação da Europa» no Pergamonmuseum em Berlim. Foi convidado pela Fundação Konrad Adenauer, a Fundação Futuro Berlim e a Fundação Robert Bosch. No seu primeiro discurso na Alemanha, disse que existe uma crescente hostilidade contra a União Europeia e a ideia, de que alguns países poderiam deixar a União, seria um incentivo ao nacionalismo agressivo que poderia levar à guerra.

«Precisamos combater juntos o perigo do novo eurocepticismo. Isto não é o monopólio de alguns países», disse. «Em qualquer país membro, existem pessoas que acreditam que o seu país pode sobreviver por si só num mundo globalizado. Isto é mais do que uma ilusão, é uma mentira».

Van Rompuy e outros burocratas da UE estão preocupados com o aumento da influência dos grupos de eurocépticos, como o britânico UKIP, na Grã-Bretanha, para além da Alemanha e Holanda. Ele crê que o novo nacionalismo se baseia no medo.

«O grande inimigo da Europa de hoje é o medo. O medo leva ao egoísmo, o egoísmo leva ao nacionalismo e o nacionalismo leva à guerra», disse.

E para coroar seu discurso, acrescenta: «a era dos países homogéneos já passou».

O parlamentar britânico da UE, Dan Hannan, o qual está contra a presença do seu país na União, rebateu a afirmação, que os países não poderiam sobreviver por si só, com um humor seco:

«A Noruega e a Suíça parece que conseguem, de alguma maneira, manter a suas condições, com um nível de vida mais alto do que qualquer outro país da União. Nos últimos anos, nenhum destes países esteve envolvido em qualquer guerra», disse.

Nigel Farage, o líder do UKIP, favorável à saída da Grã-Bretanha da União Europeia, disse:

«Rumpy Pumpy é incapaz de governar. Este homem é uma catástrofe muito bem paga, que quer o desaparecimento do nosso país. As nações não desaparecerão, pois são o espelho da vontade dos seus povos. A UE nada contra a corrente da história. O número de países no mundo aumenta constantemente».

Obviamente, esta marionete dos Bilderberg tem um enorme receio em relação ao aumento das vozes contrárias à UE. Mas isto não é surpresa, pois há quem queira participar neste Moloque antidemocrático e ditatorial ou ingressar nele. Esta união de países, que estão perante a falência, vai desmoronar em breve e o Euro também. É sustentada, por ora, graças à injecção maciça de dinheiro proveniente da Alemanha. Quando os teutónicos fecharem a torneira, ou porque finalmente acordaram ou porque simplesmente não podem pagar mais, então é finito para a UE.

Afirmar que os países não podem sobreviver por si só ou o retorno aos Estados Soberanos seria «um mau nacionalismo», que leva à guerra, é de uma suposição vergonhosa e, isso sim, é provocar medo nas pessoas. A UE é uma construção defeituosa e deve acabar. Foi criada apenas para benefício dos grandes conglomerados globais e não para os cidadãos. A estes não foi perguntado se queriam a UE ou o Euro. Tudo isso foi imposto e forçado à população europeia. E, agora, este quero-ser-presidente diz que os países já não existem, que devem desaparecer e um novo super-Estado aparecerá.

Estas declarações de Van Rompuy são, por si só, audaciosas, pois este não tem qualquer legitimação para falar pela Europa. Quem o elegeu? Ninguém. Não tem qualquer mandato e muito menos o direito de dizer como a Europa se deve constituir. Foi colocado no seu recém-criado posto pelos Bilderberg. É um zé-ninguém que ninguém conhece, que não se submeteu a qualquer sufrágio. Deveria manter-se calado. Para além disso, apenas mostra o seu pânico, pois se a UE deixar de existir, então perderá o seu principescamente pago e inútil cargo, com todos os correspondentes privilégios.

Oops, enganei-me na figura acima. Pode acontecer, pois Herman é muito parecido com o Golum.

A UE é o atalho para a bancarrota da Europa.

Fonte: Alles Schall und Rauch, 11/11/2010.
Lido: 4910

  Comentários (1)
1. Escrito por JoaoSantanaFialhoAcabado, em 14-11-2010 21:20
Este modelo de União começou mal e parece que vai acabar pior ainda.-O dinheiro, riqueza e preponderância decisória dos grandes não tem de modo algum a possibilidade de eliminar ou abafar os legítimos anseios de soberania e de manutenção das suas identidades por parte das Nações e Povos Europeus,e muito menos em situações de dificuldades e de ruína económica como aquela a que estamos a ser levados. 
O modelo não funciona, não atinge os seus próprios objectivos (declarados), nem sequer é auto sustentável. Bem pelo contrário! 
São as velhas ideias de Napoleão ou de Hitler, recicladas apenas com muito dinheiro e muita força de propaganda por trás, sem exército ou \"grand armée\" em que se apoiar ou que possa simplesmente esmagar os \"cépticos\". Nunca teremos sido conduzidos para a guerra tão alegre e irresponsávelmente como por esta \"alegre companhia\". Agora levantam fantasmas de guerras e de medo para conduzir a manada.  
Esperemos para ir vendo. 
 
João Acabado

Escreva um comentário
  • Por favor, faça um comentário relacionado apenas com o artigo.
  • Os comentários serão validados pelo administrador antes de aparecerem no site.
  • Evite erros ortográficos e/ou gramaticais.
  • Ataques verbais e/ou pessoais não serão publicados.
  • Não utilize os comentários para fazer qualquer publicidade.
  • Se preferir, não necessita de indicar o seu e-mail.
  • Caso tenha indicado um código de validação errado, faça *Refresh* para obter um novo.
Nome:
E-mail:
Página Pessoal:
Título:
Comentário:

Código:* Code
Pretendo ser contactado por e-mail caso haja futuros comentários

Powered by AkoComment Tweaked Special Edition v.1.4.6
AkoComment © Copyright 2004 by Arthur Konze - www.mamboportal.com
All right reserved