Adicione aos Favoritos
Clique para Pesquisar
    
 
"Toda a Verdade passa por três fases.
Primeiro, é ridicularizada.
Segundo, é violentamente atacada.
Terceiro, é aceite como evidente"
Schopenhauer

VISITAS
1460310
Desde 13/06/06

Será a "Tolerância" a antecâmara da morte?

ImagePor João José Brandão Ferreira (Oficial Piloto Aviador)

Não há nada como começar por definir os termos em questão. Assim, por “tolerância” (do latim “tolerantia”) verificámos significar, indulgência, condescendência, complacência, transigência, qualidade de tolerante.

Já “tolerante” (lat. “tolerante”) é aquele que tolera ou desculpa; condescendente, indulgente, complacente, benigno.

E aquilo que é “tolerável” (lat. “tolerabile”) representa o que se pode tolerar, digno de indulgência, sofrível, passável.

Em termos históricos o conceito de tolerância terá sido “ressuscitado” por alturas do século XVI, por causa das guerras religiosas, entre católicos e protestantes, que ensanguentaram a Europa.

Se há tema politicamente incorrecto na actual “civilização” ocidental este é seguramente um deles, até porque está directamente ligado, modernamente, ao malfadado conceito do relativismo moral e ao multiculturalismo.

Talvez apenas exista um tabu que se lhe assemelhe, o de falar em tudo o que esteja relacionado com judeus, judaísmo e sionismo. (...)

Clique aqui para ler o artigo completo.

Seja o primeiro a comentar este artigo | Lido: 16

 
Migrantes: um problema Humanitário ou Geopolítico?
ImagePor João José Brandão Ferreira (Oficial Piloto Aviador)

Quem o inimigo poupa, às mãos lhe morre”.

Provérbio português (muito antigo)

Para quem ainda não tenha dado conta, nós estamos perante um problema geopolítico de proporções bíblicas.

O drama dos migrantes, emigrantes, refugiados ou infiltrados é consequência daquele e, por sua vez, agrava e amplia o anterior.

Ora sem se perceber e atacar a origem geopolítica da equação, não se pode resolver o problema das verdadeiras hordas de deslocados que, voluntariamente ou empurrados, se dispõem a percorrer distâncias enormes e a enfrentar imensos perigos e incertezas para chegar ao coração da Europa quando têm países ricos, de matriz muçulmana (e não só) por perto.

Clique aqui para ler este artigo...

Seja o primeiro a comentar este artigo | Lido: 657